Entrevista com André Telles

Daniele Zandoná entrevistou o autor, publicitário, profissional de marketing e CEO da agência Mentes Digitais, André Telles.
Ele gentilmente cedeu um pouco do seu tempo para responder as perguntas abaixo e falar um pouco mais sobre mídias sociais, seus livros, marketing digital e quem mais seguir no mundo digital.

1. André, por favor, apresente-se para os leitores e conte um pouco da sua trajetória profissional.

Resposta: Sou publicitário, especialista em marketing e em administração estratégica. Atuo com propaganda e marketing desde 1995, época em que me formei. Em 2004 já estava com foco em marketing digital e em 2005 escrevi o primeiro livro a tratar de social media marketing no Brasil: Orkut.com. Em 2008 publiquei o livro Geração Digital e este ano o livro A revolução das Mídias Sociais. Tenho palestrado sobre marketing digital por todo Brasil, além de ser professor de pós-graduação em Marketing Digital. Sou CEO da agência Mentes Digitais.

2. O que é Marketing para você e qual a importância na sua vida profissional? O que o levou para o Marketing Digital? Foi por ser algo novo, pela rapidez das mudanças? Qual foi seu motivo?

Resposta: Para mim o marketing é a gestão de marcas, gestão de pessoas e gestão de produtos. Eu amo o que faço, tornou-se mais que uma profissão simplesmente, mas uma paixão que me levou a conhecer diversos amigos e lugares. Eu acredito muito no resultado do Marketing Digital e na mudança do formato de comunicação para atingir os objetivos, além da possibilidade real de mensuração, o marketing digital permite medir o engajamento dos consumidores, o que é sensacional.

3. Fale sobre a Mentes Digitais. A agência já começou com uma proposta estruturada do que fazer ou foi desbravando o mercado e descobrindo na prática as melhores soluções?

Resposta: A história da Mentes Digitais é pra maluco que realmente acredita que a Internet não tem fronteiras. Sou de Curitiba e há três anos atrás fui palestrar em Aracaju – Sergipe. Foi lá que conheci meu sócio que estava organizando o primeiro evento de marketing digital da região, o Gabriel Leite. Conversando sobre o mercado praticamente virgem da região decidimos montar em sociedade a Mentes, mas um morando no Sul e o outro no Nordeste. Não foi problema nenhum, muito pelo contrário, conseguimos ter uma abrangência nacional, devido a força de nossas conexões nos meios sociais.

4. A Mentes Digitais monta um planejamento focado em publicidade digital ou pensa também na presença digital da marca, em ações mais de longo prazo?

Resposta: Nossa visão é Agência digital que o pensamento humano é a chave para a mais envolvente e eficaz estratégia de marcas online. Nossos contratos de serviços de monitoramento, planejamento e campanhas em mídias sociais são de no mínimo seis meses.

5. A partir de que valor uma empresa pequena ou média pode procurar a agência? O budget para uma campanha digital tende a ser menor do que uma tradicional? Os resultados compensam?

Resposta: Falar em valor em um primeiro instante é complicado, pois é necessário fazer um estudo do nicho de mercado da empresa, só depois de um briefing muito bem preenchido conseguimos saber o real investimento que a empresa necessita fazer. Eu acredito muito no crossmedia digital com o tradicional. As campanhas digitais devem apontar para o tradicional e vice-versa. Investir em Mídias Sociais hoje já não é mais um diferencial de uma empresa, já é quase uma obrigação. Seus clientes estão lá e seus concorrentes também. O que realmente vai fazer a diferença é ter uma boa política de uso dessas redes para aproveitar todo o potencial delas em benefício da própria empresa.

6. As agências nacionais estão pensando em campanhas originais para o público brasileiro ou estão “climatizando” as campanhas feitas no exterior?

Resposta: Um pouco de cada, na verdade não é tão simples assim, para criar uma campanha rola um processo muito amplo de diagnostico, planejamento, brainstorm, depende do publico, do perfil, do nicho de mercado. Algumas campanhas tendem a seguir a linha de campanhas do exterior e outras que nem devem passar perto dessa lógica.

7. Temos encontrado dificuldade em convencer certos clientes relutantes em usar as mídias sociais para divulgar sua empresa. Eles alegam que mesmo acreditando no potencial das novas mídias, não têm tempo nem budget para conversar diretamente com seus clientes. Quais argumentos convenceriam um CEO relutante em usar as mídias sociais?

Resposta: Já não cabe ao CEO de uma empresa decidir se sua empresa estará ou não nas redes sociais. Independente dele as pessoas já estarão falando sobre seu segmento de mercado e possivelmente sobre sua marca e produtos. Cabe a ele decidir se participará do processo, guiando a empresa para um diálogo com o consumidor, não um monólogo.  Existem empresas que terceirizam o processo de relacionamento e marketing em mídias sociais, o que acaba barateando o custo final e elevando a qualidade do serviço prestado, pois estas empresas são especialistas no marketing online. Outro ponto decisivo é que provavelmente seus concorrentes já estão trabalhando estes canais, o que faz com que eles saiam na frente e marquem terreno, o que torna difícil a recuperação dessa fatia mesmo que um bom trabalho seja realizado, pois quem é pioneiro torna-se referência.

O marketing em mídias sociais é um canal barato, de relacionamento constante que permite atingir um número muito grande de potenciais cliente, além de permitir mensuração exata dos resultados e das estratégias, diferentemente de outras formas de marketing offline, o que faz com que acertos durante o processo sejam bem mais rápidos e problemas possam ser corrigidos ajustando e tornando eficiente uma campanha de marketing. Utilizamos sempre o conceito PDCA: PLAN, DO, CHECK, ACT.

8. Estava lendo A Bíblia do Marketing Digital lançado em 2009 e um comentário do autor me chamou a atenção pela defasagem da informação. Ele diz que o público do Facebook era formado em sua maioria por alunos de nível médio e superior. Considerando que hoje o Facebook já é a maior rede social do mundo com mais de 500 milhões de usuários e essa mudança se deu em pouco mais de um ano é fascinante observar tanta mobilidade. Além da possibilidade de mudanças de curto prazo, quais outros fatores você considera decisivos que atraem os empreendedores digitais?

Resposta: O consumidor da geração Y está sempre sedento por novidades. Foi assim com o Orkut, com o Youtube a agora com o Twitter e Facebook.  O aumento do acesso crescente à web e esta sede por novidades da geração Y faz com que a internet seja um campo promissor para os empreendedores e suas ideias; sejam elas as mais malucas do mundo, como o Hatebook, uma rede social antagonista ao Facebook onde você fica “amigo” de quem é seu “inimigo” e pode insultá-lo à vontade. Para quem dúvida do poder dessa rede anti social, o Yahoo acaba de oferecer 1 bilhão de dólares pelo Hatebook, oferta que foi rejeitada na hora.

9. Quais são os profissionais de Marketing Digital que você mais admira no Brasil? E quem devemos observar no exterior?

Resposta: @gilgiardelli @gabrieleite @pedrouchoarj @publisiridade @VanessaLockhart  @Felipercabral @mundoparticular @lekoluz @annekarolines @kakamachine @upalupa @gustavoloureiro @marthagabriel @webpaulo @ninocarvalho @missmoura @mackenzy @JoseTelmo @gugaalves @plannerfelipe @GabrielRossi @gilbermachado @rizzomiranda @paulokendzerski @digitalbranding @pabloalmeida @lebravo @bigdigo @roneyb @idegasperi @PlinioMKT @brunounix @raquelrecuero @betoaloureiro @jonatasabbott @interney @fseixas @ViniciusBruno @omelhordomkt @vitorbellote @redes_sociais @inagaki @midias_sociais @jeffpaiva @gfortes @AlinneFernandes @publicidadeweb @alexprimo @Boombust @carolterra @evasques @chmkt @lent @bethsaad @docluz @rcassano @SergioLanger @mvitorino_ @ianblack @pedroporto @pedrosorren @jasper @andrelemos @Julio_Valentim @e_d_e_n @samegui @cavallini @Busarello @guicury @ericmessa @conradoadolpho

Entre muitos outros que postam conteúdo relevante e também são apaixonados pelo marketing digital.

10. Se tivesse que indicar 3 pessoas para seguirmos no Twitter, quais seriam e por quê?

Resposta: @GABRIELEITE (Grande amigo, sócio e conhecedor do assunto) @MARTHAGABRIEL  (oráculo, aquela que tem todas as respostas, profissional e pessoa maravilhosa) @GILGIARDELLI (profeta da cybercultura do Brasil, uma das palestras mais envolventes e reflexivas do meio.)

11. Você segue algum blog? Qual a importância deles no desenvolvimento das redes sociais?

Resposta: Existem vários Blogs no Brasil que leio e vários no exterior também, não posso enumerar cada um, mas posso garantir que sem esses blogs não teríamos conteúdos pra divulgar no Twitter e Facebook. Os blog tem um fator fundamental de sempre ser fonte de informações , os blogs foram o movimento que mostrou que a Web é um canal bidirecional, ou seja, o usuário não só capta informação, mas também produz.  Sigo profissionais, blogs e portais os quais considero referências para mim, e a todo o momento sou abastecido de informações e tudo que há de mais novo na minha área e vou interagindo com eles.

Deixo abaixo a lista de alguns blogs que leio:

http://www.midiaboom.com.br

http://www.midiassociais.net

http://www.interney.net

http://www.brainstorm9.com.br

http://www.mashable.com

http://midiassociais.blog.br

http://www.pontomidia.com.br/raquel

http://www.digitalmarkketing.com

http://www.escoladinherio.com

http://www.webmarketingpt.com/

http://www.techcrunch.com

12. As redes sociais estão sendo muito usadas para a ascensão das pessoas a um nível de destaque em suas áreas de atuação ou os 15 minutos de fama do Andy Wahrol. Você acha que as redes sociais também poderão ser usadas de forma efetiva para o colaboracionismo em prol da evolução da humanidade?

Resposta: A evolução da humanidade está em Deus e a Internet e as Redes Sociais certamente são um meio para isso.

13. Seus livros têm uma linguagem rápida e objetiva. Isso ajuda no entendimento e torna o livro mais fácil de ser lido. Por que você adotou esse estilo (o assunto exigiu, porque você leciona…)?

Resposta: “Se você não consegue explicar algo de forma simples é porquê não entendeu o suficiente”. Albert Enstein

14. Em seu livro A Revolução das Mídias Sociais, você comenta o case da campanha do Obama. O que você achou das campanhas digitais dos candidatos à presidência no Brasil? Qual deles usou melhor as mídias sociais? Ainda teremos um caso Obama por aqui?

Resposta: – A internet esse ano será um case de estudo pelos próximos anos e sobre o seu uso já podemos tirar conclusões para o uso político. Somos impactados por mais de mil mensagens publicitárias todos os dias. Só damos atenção ao que realmente nos interessa, nos desperta atenção e desejo. Para furar esse congestionamento, o ambiente digital é perfeito. Somos o povo que mais passa tempo conectado no mundo.

O marketing é a gestão de pessoas, marcas e produtos. Obama era um bom produto; temos poucos bons produtos aqui no Brasil. Além do mais, nossa cultura, economia, problemas, formas de arrecadação e sistema eleitoral são diferentes em relação ao que há nos EUA. Não houve comunicação segmentada com os diversos públicos, assim como não houve planejamento estratégico, integração com o offline, monitoramento, mensuração, análise, táticas de guerrilha (falo do marketing de guerrilha, não de propaganda marrom tão bem utilizada pelos velhos lobos da política). Talvez em 2012 tenhamos mais maturidade quando o assunto for comunicação na Internet. Tudo bem, foi a primeira eleição no Brasil em que a Internet ao menos foi vista com mais seriedade no marketing político brasileiro. “Culpa” do Obama.

site da Mentes Digitais: www.mentesdigitais.com.br

fonte da imagem: www.tecnocratadigital.com.br

 

Daniele Zandoná@ex-aluna do curso de MBA em Marketing no INPG Berrini e redatora do Marketing Blog

Este post foi publicad0 no MARKETING BLOG em 11/11/2010

2 Responses to “Entrevista com André Telles”


  1. 1 Beni Kuhn novembro 23, 2010 às 9:35 am

    Andre.

    Parabens mais uma vez pela excelente entrevista.
    São profissionais que nem voce , que o mercado brasileiro precisa.

    Abraços

    Beni

  2. 2 Adriana Carneiro novembro 23, 2010 às 10:56 am

    Eu devorei o “Revoluções” em três dias e fiquei muito animada. Digo animada porque eu estava bastante desestimulada para entrar de sola no marketing digital porque eu tinha tantas dúvidas que parecia impossíel sequer começar. Quando eu li o livro, marquei um monte de páginas pra consultar depois e continuar estudando, me matriculei em um curso no Idigo e – agora sim – vou começar a batalha! Parabéns pelo livro e por tudo o mais.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: